Conheça a ANASPRA

Postagem em destaque

Parceria Aspra Hapvida: descontos nos planos de saúde para associados Aspra Sergipe

Prezado Cliente, A parceria Divicom Hapvida , leva aos Associados da ASPRA, condições especiais com preços bem reduzidos para aquisi...

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Democracia para alguns, Ditadura para outros

Na minha opinião a liberdade só perde em importância para vida, os dois maiores bens do ser humano, vida e liberdade, nessa ordem.

A democracia é muito propagada em nosso país, assim como o conjunto leis vigentes, que orgulham os juristas e legisladores da nossa Pátria Amada Brasil. São tantas as leis para garantir os direitos e a cidadania do povo brasileiro, que a cada ano são lançadas coletâneas, para que os advogados e profissionais da segurança pública se mantenham atualizados.

O cidadão brasileiro deve aproveitar a democracia na sua plenitude, pois não existe coisa melhor, já estive do lado do povo alcançado pela democracia. Hoje na condição de policial militar não passo de um SEMI-CIDADÃO vivendo na plenitude da ditadura militar, o respeito aos direitos humanos e a cidadania não nos alcançam, regidos por uma legislação que faz questão de salientar que o militar não é cidadão e que seus direitos resumi-se a não ter direitos.

Imagine cidadão civil, a contradição que passa pela cabeça do policial militar, que é responsável por manter a ordem pública, garantir os direitos e a cidadania da pessoa humana, e ele mesmo não ter esses direitos garantidos.

Uma das primeiras lições que aprendemos durante o curso der formação ”ALGUÉM SÓ PODE SER PRESO EM FLAGRANTE DELITO OU MANDADO JUDICIAL” correto, afinal seria imperdoável sair pelas ruas tirando a liberdade das pessoas, ao bel prazer.

O detalhe é que essa regra da legislação só é aplicada quando se trata de cidadãos, no caso do policial militar SEMI-CIDADÃO a regra é, tire primeiro a liberdade depois achamos a motivação.

No caso do policial militar não é preciso ordem judicial para tirar sua liberdade, basta algum superior hierárquico que confunde essa condição com superioridade humana, achar que o militar o ofendeu, mesmo que a ofensa seja ao ego do egocêntrico superior.

Por essas e por outras que continuo livre nos meus pensamentos e ideologia, não há como prender quem pensa e tem ideologia, quem não pensa e não tem um ideal, já está preso por si só.

Fique com Deus, abraços.

Edgard Menezes (Cidadão brasileiro)

Postagens populares