Conheça a ANASPRA

Postagem em destaque

Parceria Aspra Hapvida: descontos nos planos de saúde para associados Aspra Sergipe

Prezado Cliente, A parceria Divicom Hapvida , leva aos Associados da ASPRA, condições especiais com preços bem reduzidos para aquisi...

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Sargento Edgard Menezes é preso por enviar ofício à AL

Punição disciplinar determina quatro dias de reclusão
 
O Sargento Edgard Menezes está detido na Corregedoria de Polícia Militar em cumprimento a uma punição decorrente de um processo disciplinar instaurado pelo Comando da Polícia Militar. O oficial, que é vice-presidente da Associação Dos Militares do Estado de Sergipe, está detido na sede do Grupamento Especial Tático de Motos (Getam) cumprirá quatro dias de reclusão.

De acordo com o advogado de defesa, Plínio Karlo, o sargento Edgard [como vice-presidente da Amese] enviou ofício aos deputados estaduais solicitando que fosse avisado da chegada dos projetos referentes à Polícia Militar na Assembleia Legislativa, para que pudesse ir ao plenário debater e prestar esclarecimentos sobre as reivindicações da categoria. “O comando da PM entendeu que ele infringiu a legislação militar e agora ele responde à um processo administrativo, na qual foi determinada a sua punição e uma alteração na sua ficha disciplinar, que reduz o seu comportamento de excepcional para ótimo”, explica o advogado. "Ele como representante de classe quer melhorias para os seus colegas de fardas. Em nenhum momento, ele tentou infringir o código militar”, destaca Plínio Karlo.

O tenente coronel Paulo Paiva, relações públicas da Polícia Militar , explica que a punição do sargento Edgar havia sido determinada em fevereiro, mas que uma liminar suspendeu a aplicação da pena. O habeas corpus concedido anteriormente foi cassado e a punição disciplinar foi divulgada na última terça-feira, 8, no Boletim Geral da Polícia Militar. “Ele enviou ofício como se fosse representante da PM, mas o representante legal é o comandante geral”, justifica.

Esta não é a primeiraa vez que que vice-presidente da Amese é preso. No dia 22, de março, o Edgard Menezes foi encaminhado à Corregedoria da Polícia Militar, sob acusação de abandono de posto de trabalho. Ele foi solto um dia depois, após habeas corpus concedido pela justiça.

Verlane Estácio 
 
Fonte: Portal Infonet

Postagens populares