Conheça a ANASPRA

Postagem em destaque

Parceria Aspra Hapvida: descontos nos planos de saúde para associados Aspra Sergipe

Prezado Cliente, A parceria Divicom Hapvida , leva aos Associados da ASPRA, condições especiais com preços bem reduzidos para aquisi...

terça-feira, 21 de abril de 2015

Morte de Cabo: PMSE vê absurdo em atitude de clínica

Polícia Militar quer que a polícia civil investigue a morte

A Polícia Militar e os familiares cobram investigação rigorosa da Polícia Civil para identificar a responsabilidade sobre a misteriosa morte do cabo Josenilson dos Santos João, que faleceu no dia 13 depois de passar mal na Clínica São Marcelo. O tenente-coronel Paulo César Paiva, chefe da PM 5 [setor responsável pela comunicação social da Polícia Militar], informou que a corporação está atenta e classifica como estranha e absurda a atitude da equipe da Clínica São Marcelo por não providenciar a transferência do paciente para uma outra unidade de saúde.

A transferência do paciente foi feita, na noite do dia 13, pela própria esposa, Elisângela da Conceição, que teria recebido uma ligação telefônica da clínica informando que o paciente teria que ser conduzido para o hospital São José por estar com febre alta e crise convulsiva. A esposa fez a transferência em veículo próprio, inapropriado, e sem nenhum acompanhamento da equipe da Clínica São Marcelo, conforme revelou Elisângela da Conceição em entrevista ao Portal Infonet. “Achamos muito estranho. O procedimento da clínica é completamente irregular, um absurdo”, considerou o tenente-coronel Paiva.

O tenente-coronel informou que a corporação, neste caso, não tem competência para instaurar inquérito policial militar para realizar as investigações, mas ficará atenta, acompanhando os procedimentos que deverão ser adotados pela polícia civil. O tenente-coronel informou que a Polícia Militar está dando total assistência à família e garantiu que já existe boletim de ocorrência registrado na polícia civil.

A esposa informou que está aguardando o resultado do laudo cadavérico que será emitido pelo Instituto Médico Legal (IML) até o início do mês de maio. O IML ainda não identificou a causa da morte. No documento de liberação do corpo para sepultamento consta apenas como morte indeterminada. A assessoria de imprensa informou que a Secretaria de Estado da Segurança Pública investigará a morte do cabo, a partir das informações contidas no boletim de ocorrência.

O diretor da Clínica São Marcelo entrou em contato com o Portal Infonet e informou que vai averiguar o que efetivamente aconteceu com o paciente e prometeu entrar em contato novamente com a equipe de reportagem para prestar os esclarecimentos. O Portal Infonetpermanece à disposição. Informações podem ser enviadas por e-mailjornalismo@infonet.com.br ou por telefone (79) 2106 – 8000.

Cássia Santana

Fonte: Portal Infonet

Postagens populares