Conheça a ANASPRA

Postagem em destaque

Parceria Aspra Hapvida: descontos nos planos de saúde para associados Aspra Sergipe

Prezado Cliente, A parceria Divicom Hapvida , leva aos Associados da ASPRA, condições especiais com preços bem reduzidos para aquisi...

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

DESARME-SE diz que blitz não diminui homicídios

Comitê Sergipano pelo Desarmamento critica ação da PM
Coordenador do DESARME-SE criticou operação policial (Fotos: Portal Infonet)

“Blitzes não funcionam para inibir homicídios”. Essa é a declaração do coordenador do DESARME-SE - Comitê Sergipano pelo Desarmamento, Fábio Costa, que acredita que operações policiais como a que foi realizada no dia 26 de agosto, na região metropolitana que compreende os municípios de Aracaju e Nossa Senhora do Socorro, não tem eficácia para diminuir a ocorrência de assassinatos.
“O que tem que ser feito é promover uma gestão integrada com vários órgãos, dentre eles a Defensoria e o Ministério Público, e priorizar o policiamento comunitário, que aproxima a polícia das comunidades”, declarou Fábio Costa, alegando que as blitzes funcionam para prevenir outros crimes, a exemplo dos assaltos.
Ainda com relação às operações policiais, o coordenador do DESARME-SE afirmou que elas nem foram feitas nas regiões de maior incidência de homicídios. “Segundo dados oferecidos pelo Ministério da Justiça, o município mais violento de Sergipe, que fica na região metropolitana, é Barra dos Coqueiros. Já dentro da capital, o bairro onde acontecem mais assassinatos, segundo o Instituto Médico Legal (IML), é o Santa Maria”, informou Costa, complementando que fazer blitz para provocar efeito midiático não funciona.
Tenente-coronel Jackson do Nascimento rebateu afirmações de Fábio
SSP
Rebatendo as afirmações do coordenador do DESARME-SE, o comandante do Comando do Policiamento Militar da Capital (CPMC), tenente-coronel Jackson do Nascimento, diz que nos quatro finais de semana em que foram realizadas as operações, não aconteceu nenhum homicídio nas áreas e nos horários em que as blitzes foram realizadas.
“Buscamos através de estatísticas os locais que tinham maior incidência de assassinatos, e verificamos que eles aconteciam nas regiões compreendidas pela 3ª e 5ª delegacias. Realizamos as blitzes nos horários de maior índice, ou seja das 14h às 23h, e não só reduzimos os homicídios, como diminuímos 100%”, relatou o tenente-coronel Jackson.
O comandante do CPMC ainda disse que tem dados que comprovem suas declarações, e que o coordenador do DESARME-SE, além de completamente desinformado, possui informações amadoras e sem lógica.
Por Monique Garcez e Raquel Almeida
Fonte: Portal Infonet

Postagens populares