Conheça a ANASPRA

Postagem em destaque

Parceria Aspra Hapvida: descontos nos planos de saúde para associados Aspra Sergipe

Prezado Cliente, A parceria Divicom Hapvida , leva aos Associados da ASPRA, condições especiais com preços bem reduzidos para aquisi...

sábado, 18 de julho de 2015

Sargento é presa por abandono de serviço

Presidente de Associação recebe voz de prisão em Aracaju

A sargento Svetlana Barbosa Silva, presidente da Associação das Policiais Femininas do Estado de Sergipe, foi presa no final da manhã deste sábado, 18, acusada de abandono de serviço, crime previsto no Código Penal Militar, com pena de detenção que varia entre três meses a um ano.

De acordo com informações do tenente-coronel Paulo César Paiva, chefe da 5ª Seção da Polícia Militar de Sergipe, setor responsável pela comunicação social da corporação, ela estava escalada para supervisionar as equipes que estão atuando no policiamento ostensivo do Centro da cidade, que é a área vinculada ao 8º Batalhão da Polícia Militar.

No entanto, teria sido flagrada, segundo o tenente-coronel, na sede da Associação que preside realizando outros trabalhos, o que caracteriza, na ótica da corporação, abandono de serviço. Mas as informações que estão circulando nas redes sociais divergem desta versão apresentada pelo tenente-coronel Paiva.

De acordo com as informações veiculadas nas redes sociais, a sargento não saiu da área de atuação. Ela teria ido à sede da Associação, que fica no Centro da cidade, para utilizar o banheiro e retornaria ao posto para dar sequência à atividade profissional como supervisora das equipes. Mas recebeu voz de prisão em flagrante do tenente Jamisson, do 8º BPM, que a encaminhou à Corregedoria da Polícia Militar, onde está sendo lavrado o flagrante.

O advogado Márlio Damasceno, que atua na Associação dos Militares do Estado de Sergipe, recebeu estas informações e vê excessos nos encaminhamentos que levaram à prisão da policial. “Como abandono de serviço, se ela não se ausentou da área de atuação? Na minha ótica, não vejo abandono de serviço”, comentou o advogado.

Cássia Santana

Fonte: Portal Infonet

Postagens populares